Laura Alvim

por umroteirista

Como se pode facilmente aferir, tornou-se um hábito não escrever o post no tempo regulamentar. Embora não haja atualização deste blog com a frequência que foi estipulada no momento de sua criação, a culpa permanece.

Mas cá estou eu, correndo novamente atrás do prejuízo e, sendo dia útil, sem poder usar de subterfúgios pra  fazer este texto valer por dois. Ou seja, hoje dois post terão que ser gerados. Este primeiro, de certa forma, explica o porquê de eu não ter escrito ontem.

No final da noite, eu e minha namorada fomos ao cinema no simpático Estação Sesc Laura Alvim. Ali, sentados esperando a sessão começar, ficamos imaginando como seria ter morado naquela casa, à beira da praia de Ipanema. Na verdade, uma espécie de pequena vila com um átrio formado por três construções que se comunica, por meio de uma viela, com a avenida Vieira Souto.

Em uma de suas salas de projeção assistimos ao filme Um Divã Para Dois. Na crítica do jornal, o Bonequinho do Globo está sentado, atento. De fato, é um bom longa-metragem, com um roteiro bem amarrado e as interpretações excelentes (sóbrias, no ponto certo) de Meryl Streep e Tommy Lee Jones. Ponto para o casting, que deve se ver cada dia mais com o desafio de encontrar um bom ator que saiba envelhecer. Ali, não caberia uma atriz que carregasse alguns mililitros de silicone a mais nem centímetros quadrados de epiderme a menos.

Laura Alvim provavelmente iria gostar de ver que filmes como esse estão em cartaz na casa onde foi criada e que doou para que se transformasse em um centro cultural. Aliás, foi em uma de suas salas que ensaiei, no ano passado, meus primeiros passos como diretor teatral.

Anúncios